Depois de meses turbulentos em função do lançamento da nova versão do Habbo, a Sulake nunca mostrou tanto carinho com os seus usuários: em três ocasiões, foram distribuídos itens gratuitos para a comunidade como gratidão, simplesmente, por acessar o Habbo, além do calendário de presentes que esteve ativo durante quase todos os meses de 2021.

Este carinho com o usuário não é por menos: logo assim que a versão clássica do Habbo saiu do ar, em janeiro, houve uma fuga massiva de usuários que preocupou a Sulake e a obrigou a retornar com a versão, além de outros esforços, como o retorno inesperado do SnowStorm, que era um dos maiores desejos da comunidade.

No pacote de bondades da Sulake, o preço das moedas também deve beneficiar os usuários.

Sem reajuste de preço

Com a comunidade receosa sobre o futuro do Habbo na versão Unity, aumentar o preço das moedas não seria uma boa ideia no momento, sob o risco de espantar os usuários que continuam investindo no hotel. Especialmente quando o bolso dos usuários já está pressionado pelo maior índice da inflação brasileira em três décadas e força com que as pessoas cortem custos não essenciais, como o Habbo.

Por outro lado, a defasagem do preço das moedas pode ser um fator um positivo para aqueles que desejem comprá-las. Se os preços baixos atraem mais usuários para comprar moedas, esta pode ser mais uma razão estratégica para que a Sulake não reajuste seus os preços.

Outras fontes de renda

Em setembro, surpreendentemente a Sulake anunciou que estaria entrando no mercado NFT com uma coleção de, aproximadamente, 12 mil itens. O projeto demandou meses de trabalho e, estranhamente, foi elaborado quando a prioridade máxima da empresa era o desenvolvimento do Habbo em Unity.

Quando esclareceu as razões para trabalhar neste projeto, a Sulake disse que um dos objetivos era arrecadar dinheiro para reinvestir no próprio hotel. Supostamente a empresa está estudando novas possibilidades de gerar receita.