Os usuários mais fiéis da comunidade já se depararam com um movimento atípico no Habbo nestes últimos meses: as campanhas patrocinadas. Desde outubro de 2020, quartos, jogos e emblemas de anunciantes complementam o entretenimento do hotel de uma maneira que não se observa nas comunidades de outros países.

Este movimento atípico é resultado direto das ações da Azerion Brasil, que iniciou as operações no país em julho de 2020, com a missão de gerenciar comercialmente o catálogo de produtos do grupo Azerion, que inclui o Habbo.

Diante deste cenário, a cada nova campanha publicitária na comunidade, muitas especulações surgem em torno de seus bastidores, como: “quanto custa anunciar no Habbo?”, “será que é rentável?”, “quem ganha com isso?”, “quem são as pessoas envolvidas?”, entre muitas outras questões.

Para esclarecer algumas destas dúvidas, este artigo explica um pouco do processo para anunciar no Habbo e revela algumas curiosidades. Porém, deve-se ter em mente que, por questões contratuais, estratégicas e éticas, os detalhes de campanhas publicitárias não são fornecidos pelas partes envolvidas, ou seja, não é possível fazer afirmações sobre escopo e valores de projetos específicos.

O caso Bubble Juice

Se você é um jogador fiel, provavelmente já encontrou pelo hotel alguma mobília da linha Bubble Juice – se você nunca viu, visite este quarto do Macklebee para conhecer a linha completa. Trata-se de uma marca fictícia criada pela Sulake para exemplificar como um anunciante pode divulgar a sua marca verdadeira no hotel.

Basicamente, a coleção de mobílias exemplifica que qualquer item do jogo pode ser customizado às necessidades do anunciante. Esta customização não se limita apenas a mobílias, mas pode incluir também emblemas, banners clicáveis, atividades de entretenimento, notícias, entre outros.

A marca fictícia é frequentemente utilizada em um material de media kit (uma espécie de revista para apresentar a plataforma Habbo para um potencial cliente) da Sulake. A partir deste material é possível compreender como funcionam as publicidades no Habbo.

Para conhecer um exemplo de media kit, clique aqui – este é um material produzido em 2013, pela Gamebiz, empresa de propriedade de Marcus Imaizumi, ex-diretor da Sulake Brasil, que foi uma das responsáveis pelas ações publicitárias do Habbo no país.

O papel da Azerion Brasil

Em cada uma das nove comunidades Habbo pelo mundo, pode-se encontrar um endereço eletrônico no rodapé da página web para que anunciantes interessados entrem em contato com a Sulake. No Brasil, a filial da Azerion no país desempenha um papel proativo na busca por anunciantes e se mantém responsável por gerenciar as ações publicitárias na comunidade – provavelmente, por esta razão, a comunidade luso-brasileira se destaca em relação às demais quanto ao número de campanhas publicitárias realizadas.

Desde a sua chegada ao Brasil, coordenou duas campanhas no Habbo: o Movimento Vacina Brasil, do Ministério da Saúde, em outubro de 2020 e Galera com mais cores, da Fanta, em junho de 2021. Em sua página web é possível encontrar outras campanhas da empresa no país.

Cabe ressaltar que a filial é responsável pelas publicidades de uma gama de produtos, embora tenha indicado o Habbo como uma de suas prioridades.

E quanto custa anunciar, de fato?

Em uma busca na langing page da Azerion Brasil, pode-se encontrar uma tabela com os valores de referência dos produtos gerenciados pela companhia, entre os quais, está o Habbo, com a seguinte informação:

FormatoDuraçãoValor bruto
Competição7 diasR$ 600.000,00
Quarto patrocionado30 diasR$ 1.200.000,00

Estes valores, porém, referem-se ao teto, ou seja, o valor bruto de uma campanha em que se explora o máximo de todos os recursos disponíveis para anunciar – e que dificilmente é encomendada por algum cliente. Na prática, os valores cobrados são significativamente inferiores que os descritos na tabela, porque as campanhas, em geral, são mais simples. A desvalorização da moeda brasileira também é uma das razões para que os valores sejam tão altos.

Em geral, empresas de publicidade não divulgam os valores de seus serviços publicamente, especialmente porque podem variar consideravelmente de acordo com o projeto contratado, ou seja, depende de cada caso. No caso da Azerion, os valores são divulgados apenas por uma questão burocrática e o valor de referência não necessariamente corresponde ao valor final do contrato.