Com a proposta de mesclar educação com entretenimento, o escritório da Azerion no Brasil desenvolveu o projeto Habbo Educação. O objetivo da empresa é trazer instituições de ensino para o Habbo, de modo a estender a presença de escolas e universidades para onde os seus alunos estão: nos jogos.

Esta é a nova estratégia da empresa para angariar anunciantes ao Habbo, de acordo com um documento encontrado. Para Azerion, esta é uma oportunidade para que instituições ligadas à educação impactem a audiência dos jogos durante o entretenimento preferido dos jogadores.

O projeto é uma iniciativa da Azerion, Sulake e GameDistribution.

Habbo College

As informações divulgadas em um material de media kit indicam que o projeto Habbo Educação (também definido como Habbo College, em inglês) consiste em apresentar o produto da Sulake para potenciais clientes ligados às instituições educacionais. O material demonstra como escolas, universidades e centros de ensino podem utilizar o Habbo para oferecer atividades lúdicas aos seus alunos.

Para isso, o Habbo disponibiliza os seguintes recursos às instituições:

  • emblemas
  • enquetes
  • salas de aula
  • campus

Dentro do campus (quarto principal), os usuários podem acessar as salas de aula (quartos de atividades), onde serão encontrados desafios para serem cumpridos, que podem ser uma competição, um jogo ou uma enquete. Para cada desafio cumprido, um emblema pode ser entregue ao participante.

Estes recursos são os mesmos já utilizados pelo Habbo em suas atividades tradicionais de campanha.

Casos de sucesso

O projeto foi inspirado em diversos casos de alunos e instituições de ensino que utilizaram o Habbo como meio para ensinar ou engajar estudantes. Especialmente durante os meses de quarentena da pandemia da COVID-19, que afastou estudantes das escolas, a estratégia de conectar alunos com professores ganhou notoriedade na mídia.

Um dos casos mais conhecidos foi o do professor Jesús Lara, publicado pelo jornal Todos Ahora, da Venezuela, que viralizou no país. Em abril de 2020, para dar continuidade ao trabalho de ensino no colégio San Inacio durante a quarentena, o professor construiu uma escola dentro do Habbo, onde marcou encontros com os seus alunos e ministrou aulas de geografia, história e cidadania.

Jesús Lara, que já foi usuário assíduo do Habbo na adolescência, escolheu esta plataforma como estratégia para ensinar sem que, ao mesmo tempo, causasse entediamento para os seus alunos.

Eu me atrevi a utilizar uma ferramenta que não aparecia em nenhuma das sugestões enviadas pelos departamentos de ensino e tecnologia da instituição que trabalho. Transformei o Habbo em uma escola – não tradicional – em que eu pudesse me encontrar virtualmente com meus alunos, dar aulas, avaliá-los e interagir com eles. Por sorte, isso foi um êxito.

Jesús Lara, para o jornal Todos Ahora

A presença das escolas no Habbo, porém, não se limita apenas ao ensino e, pode incluir também confraternizações, festas ou, de alguma maneira, manter instituições conectadas aos seus alunos.

Material de apresentação

Mais detalhes sobre o projeto, o Habbo e a Azerion estão no material de apresentação abaixo. As imagens são apenas ilustrativas.

Habbo-College

O escritório da Azerion no Brasil já foi responsável por garantir duas campanhas no Habbo: o Movimento Vacina Brasil, do Ministério Saúde e o Galera com mais cores, da Fanta. Com a aposta na educação, as instituições de ensino podem ser as próximas a exibirem suas marcas no Habbo.